logo

Doenças

Embora os periquitos sejam aves de fácil tratamento, é inevitável que um deles adoeça. Mas ao contrário do que algumas pessoas possam pensar em relação a pássaros de pequeno porte como o periquito, estas av es podem recuperar com o devido tratamento e voltar á sua condição normal.



Algumas características de um periquito doente:

 

  • Mostra-se menos activo;
  • Empoleira-se na maioria das vezes no seu local predilecto com as penas eriçadas;
  • Cauda levemente pendente;
  • Perde o aspecto exuberante;
  • Cambaleia, estremece, cai;
  • Muitas vezes tem o bico escondido nas penas das costas, os olhos meio fechados, pousa sobre dois pés, e não sobre um só como acontece durante um sono saudável;
  • Olhar baço, olha para o vazio;
  • Normalmente não comem, ou quando comem, demoram mais tempo que o habitual a debicar as sementes (e muitas vezes com um olhar mais atento, vê-se que o pássaro nem chega a comer, fica apenas a descascar as sementes - os grãos de alpista tornam-se mais escuros depois de descascados);
  • É possível que beba mais vezes que o habitual, por isso aconselhoque coloque o bebedouro o mais perto possível, para que a ave não faça esforços desnecessários enquanto está doente;
  • Podem aparecer algumas manchas na zona da cloaca (ânus);
  • Espirra frequentemente, com expulsão de secreções nasais;
  • Expele muco, plumagem e narinas aglutinadas (possível infecção do papo);
  • Fezes pastosas, líquidas, espumosas, ensanguentadas, cor estranha;

Se não o ajudar rapidamente, o periquito pode perder as forças, ficar quase deitado sobre a barriga no ramo ou mesmo jazer no fundo da gaiola. Não deve hesitar muito tempo em ir ao veterinário, pois uma criatura tão pequena precisa urgentemente de ajuda. Algo que deve fazer para ajudar o periquito a recuperar é inicialmente não fazer barulho, convém haver silêncio absoluto. É absolutamente necessário isolar um periquito que esteja doente e mantê-lo num ambiente aquecido para que ele recupere convenientemente.

 

Radiação Infravermelha

Tem que existir calor constante, mantenha a temperatura próxima dos 32ºC utilizando, para isso, uma lâmpada de infravermelhos, a qual pode ser adquirida nas lojas de material para avicultura. Escolha um modelo concebido especificamente para ser utilizado com seres vivos, que não se parta se for salpicado com água, e que forneça apenas calor sem luz. Se quiser pode adquirir o conjunto completo: com termostato, lâmpada deinfravermelhos, cabo adequado e suporte. Convém que tenha uma gaiola a mais para que esta sirva como hospital numa situação de emergência. Deve colocar o aparelho de infravermelhos de 150 a 250 Watts a 40 cm da gaiola, de modo que apenas um lado da gaiola seja atingido pelas radiações. Cubra metade da gaiola com um pano, pois se o pássaro tiver muito calor, poderá refugiar-se na sombra sempre que quiser. Poderá ainda colocar perto da gaiola um recipiente emanando vapor de água, de forma que se gere humidade atmosférica suficiente, mas tenha cuidado para não queimar o periquito.

Quando necessário, deixe a lâmpada a trabalhar durante dois dias, desligar um dia e voltar a ligar, mas mantenha-se sempre atento aos sinais corporais do periquito. Se o periquito doente melhorar visivelmente, aumente gradualmente a distância entre a lâmpada e a gaiola, para que a temperatura vá baixando lentamente. Depois, assegure-se de que o calor é constante e evite que correntes de ar atinjam a ave. É preferível não precipitar o regresso de um periquito doente ao aviário e muito menos a uma gaiola no exterior quando estiver mau tempo.

 

Contudo existe um problema para este tipo de radiações. No caso de se verificarem paralisias - o pássaro arrasta um pé, ou pende uma asa -, ou espasmos, é porque as consequências das radiações são mais prejudiciais que benéficas. Nestes casos, tem que consultar imediatamente o veterinário, e não hesite em pedir-lhe conselhos.

 

Importante: Lave muito bem a gaiola onde o periquito doente esteve, para que esteja sempre pronta para qualquer eventualidade sempre que for necessária. Lave também muito bem os recipientes da comida e da água e os poleiros. Estas medidas permitem reduzir as hipóteses de os outrosperiquitos serem vítimas de uma possível infecção. Vá estimulando o apetite do periquito colocando uma espiga de milho painço ao seu alcance.

 

A ida ao veterinário

Se o estado de saúde do seu periquito não se modificar em poucas horas, deverá levá-lo ao veterinário nesse mesmo dia, o mais tardar no dia seguinte. Se notar algum sinal de alarme (quadro em baixo), deverá procurar o veterinário imediatamente. Em muitas cidades é possível encontrar veterinários de serviço à noite e nos feriados, que só em casos excepcionais se deslocam ao domicílio, daí que terá de ser você a levar o seu animal doméstico ao veterinário. Um periquito saudável defeca em espaços de 12 a 15 minutos. As fezes saudáveis devem ter um rebordo escuro à volta do ácido úrico de cor clara. Daí que fezes líquidas podem ser um sinal de doença.

A não esquecer, alguns cuidados prévios antes de ir para o veterinário:

  • Em vez de areia ou jornal sujo, coloque papel limpo no fundo da gaiola, para que o veterinário possa avaliar de imediato o estado das fezes do periquito;
  • Proteja o pássaro do frio, da humidade e do calor excessivo, durante a viagem até ao veterinário. Convém que envolva a gaiola com uma manta ou transportá-la numa grande caixa de cartão, sem esquecer de assegurar uma ventilação suficiente;
  • Tenha cuidado também na maneira como transporta a ave, tente não abanar demasiado a gaiola, para poupar o animal doente dostress;

O que o veterinário irá perguntar

  • Que idade tem o periquito?
  • Quando notou pela primeira vez sinais de doença no periquito?
  • O que foi que lhe chamou mais à atenção?
  • O pássaro já esteve doente anteriormente?
  • Quem o tratou na altura e com que medidas/medicamentos?
  • Qual é a mistura de sementes que come? (leve sem falta uma amostra.)
  • O que bebe o periquito?
  • Que legumes ou fruta comeu?
  • Poderá ter mordiscado substâncias venenosas?
  • Que outros animais convivem com ele?

As fezes são examinadas de imediato, ou o mais tardar no dia seguinte. Se não for possível determinar a causa da doença, o veterinário tentará então ajudar, partindo da sua suposição, com uma injecção ou medicamento. Leve um bloco de notas, ou uma folha e tome nota atentamente de tudo o que ele lhe disser, especialmente se ele lhe propuser recolhas de amostras de muco, da pela e de tecidos, ou a administração de um medicamento.

Pergunte quais as perspectivas do tratamento ser bem sucedido, quais os efeitos que terá sobre o animal e se há outras possibilidades de tratamento. Pergunte também as consequências eventuais, no caso de existir a hipótese de rejeitar uma intervenção cirúrgica. Siga rigorosamente o tratamento com os medicamentos que foram receitados pelo veterinário, relativamente às doses, à sua duração e aplicação.

Agradecimentos: Tudo Sobre Periquitos

 

Leia Também

Nenhum página semelhnate encontrada


Gif transparente